I Fórum sobre Desafios para a Ciência e Tecnologia aconteceu hoje (18)

O grande objetivo do Fórum é disseminar informações sobre Ciência e Tecnologia junto aos Institutos de Ciência e Tecnologia (ICT) e empresas.

Aconteceu hoje (18) às 16 h, o I Fórum sobre Desafios para a Ciência e Tecnologia. O evento contou com a presença do prefeito Barjas Negri, do secretário de Desenvolvimento Econômico, Pedro Luiz da Cruz e da Presidente do do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia, Taís Helena Martins Lacerda.

O fórum é uma iniciativa do Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia (CMCT) que pretende realizar atividades voltadas para a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, que acontece no mês de outubro no estado de São Paulo e também em Piracicaba.

O evento tem como objetivo disseminar informações sobre Ciência e Tecnologia junto aos Institutos de Ciência e Tecnologia (ICT) e empresas, privilegiar um espaço de debates sobre seus rumos no município, procurando demonstrar suas potencialidades, desenvolvimento de parcerias estratégicas com vistas ao desenvolvimento de pesquisa e desenvolvimento.

De acordo com Taís Lacerda, presidente do CMCT, o intuito é que aconteça uma aproximação entre as empresas e as universidades que trabalham com Ciência e Tecnologia. “Pensamos em outras ações, mas antes precisamos saber como será a receptividade do 1º Fórum”, completa.

Para o secretário titular da Semdec, Pedro Cruz, a iniciativa é muito oportuna, visto que nosso Parque Tecnológico que vai agregar diferentes atividades num mesmo espaço, já está ocupado por escolas de tecnologia, pelo CAN da Raízen e assim por diante.

O prefeito Barjas Negri abriu o evento falando sobre o Cenário e Projeções da Ciência e Tecnologia em Piracicaba. De acordo com ele, a cidade recebe cada vez mais oferta de cursos técnicos e com isso existe um aumento na qualificação do trabalho. “Temos a Esalq como referência nas pesquisas voltadas à tecnologia. A produção da cana é um fator chave no desenvolvimento do município”.

“Não é para menos que o Simtec tem presença significativa de representantes nacionais e internacionais, que visitam nosso setor de produção. Nossa cidade exporta cerca de 2 bilhões de dólares não somente no setor sucroalcooleiro como também no setor de metal mecânico”, completa. Para o prefeito, o fórum é um aliado para debater todos os pontos do cenário de Ciência e Tecnologia da cidade.

Na sequência aconteceram duas palestras com os seguintes temas:

  • Políticas de C&T no país e Estado de São Paulo – Diretoria Científica da FAPESP – palestrante Sérgio Robles Reis de Queiroz;

  • Instrumentos para o Desenvolvimento e a Relação Universidade e Empresa – Superintendente de Tecnologia e Educação do Centro de Integração Empresa/Escola – palestrante Eduardo Sakemi

O palestrante Eduardo Sakemi, afirma que o Fórum tem importância ao fazer a interação empresa e escola. “Mostraremos as possibilidades para os estudantes e também para as empresas, permitindo a inserção da prática dentro dos cursos”.

Para o representante da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Sérgio Robles Reis de Queiroz, o evento traz a possibilidade para que as pesquisa dentro da área de Ciência e Tecnologia sejam ampliadas, e mostrem resultados às demais instituições.

O Conselho

O Conselho Municipal de Ciência e Tecnologia foi criado em 2000 e tem como finalidade assessorar, estudar e propor ao Poder Público as diretrizes da política municipal no campo da ciência e tecnologia.

De acordo com a lei nº 4.918/00, o CMCT é composto por 18 membros sendo: secretário de Planejamento, representantes das secretarias de Desenvolvimento Econômico, da secretaria de Agricultura e Abastecimento, da secretaria de Educação; representantes das seguintes instituições: Esalq, Unimep, FOP, FUMEP, Faculdade de Serviço Social, CENA, FIESP, CIESP, ACIPI, CDL, AEAP, APM, APCD; um representante da Câmara de Vereadores, um representante ligado à defesa do meio ambiente e um representante do Conselho Coordenador das Entidades Civis.

CIÊNCIA E TECNOLOGIA NA CIDADE

O Parque Industrial de Piracicaba é composto por cerca de 1130 empresas nacionais e multinacionais, destacando-se no setor sucroalcooleiro e metal-mecânico. A cidade, ao longo dos anos, vem construindo competências específicas no ramo metal-mecânico, como fornecedora de máquinas e equipamentos tanto para as atividades agrícolas como para a produção de biocombustíveis, sendo que o cultivo da cana e o setor metal-mecânico são considerados atividades que se complementam.

Os subsetores industriais que ampliaram sua participação na economia de Piracicaba, no período de 2001 até 2005 foram os produtos de metal que tiveram um crescimento de 104%, seguidos pela metalurgia básica – ferrosos (39,4%) e por papel e celulose (22,1%). Os dois subsetores que mais cresceram no valor adicionado fiscal do município foram o de máquinas, aparelhos e materiais elétricos (1.102% de crescimento) e de metalurgia básica – não ferrosos (com 699%), que em 2005 somaram, juntos, 1,14% de participação no total da indústria.

A agricultura tem expressiva participação na economia local, com destaque para as culturas de cana-de-açúcar, milho e pecuária. Para aumentar a competitividade do álcool, o setor criou o Arranjo Produtivo Local do Álcool – APLA, que concentra, na região de Piracicaba, destilarias, indústrias, instituições e centro de pesquisa voltado ao setor sucroalcooleiro.

Autoria: Vanessa Haas – Mtb: 61932 SP
Fonte: Centro de Comunicação Social
Data: 18 de outubro de 2011

‹ voltar